seique pagha a pena 2

e temos mais pessoas de siso contrastado que dizem pagar a pena a leitura do seique.

o outro dia foi chus nogueira que falou dele no diário cultural, programa que sempre tam bem me trata (se picades, ides ao poscá).

e depois, ou antes, foi mario regueira, que lhe adicou o seu espaço semanal na versão em papel do jornal sermos galiza.

a recensão de mario no sermos galiza.

a recensão de mario no sermos galiza.

ains! e que mais vou dizer!

seique paga a pena

e temos com nós a primeira recensão crítica do seique, no suplemento fugas, de Lavozdegalicia, e da mão de ramón nicolás.

orgulhosa.

 

critica_Fugas1

 

a sega

quando nena nunca fui à erva nem à sega. vivia na aldeia mas em casa sem animais nem terras. nem tínhamos johndeere nem chimpim nem carro de bois.

porém era costume no verão seguir com a vista à sinha mercedes, às de botana, a virucha, a concha, a todas as mulheres do lugar, caminhando cara as leiras de currás, com as suas batas pretas, os seus chápeus de palha e a gadanha, dispostas para a ceifa.

porque daquela não fui à erva, vou agora, numa quadrilha de segadoras com a foucinha preparada para ceifar quanto faga falta. 

porque quem sega sementa o mundo em que quer viver! 

a fotografía é de virixilio viéitez e tirei-na de aqui.

entre as melhores

humidades_pequena

é umha selecçom subjectiva feita por pessoas concretas, mas nom por isso é menor a ilusom que me faz ver aí o [de]construçom. Entre as melhores obras de literatura em galego do 2009, segundo culturagalega.org.

a foto pretende iluminar o poema antecessores.

no diario cultural

Hoje, no diario cultural da radio galega, anxo quintela, ana romaní e chus nogueira dialogárom (bufff!!) sobre [de]construçom. E graças ao facebook, sei por eduardo que o pérez parallé tem blogue próprio.

cozinha

Páxina seguinte »