seique em santiago 2

acompanhadas da chuva, demos a benvinda ao seique na tarde do 28 de outubro.

acompanhadas da chuva, dos contos de celso e do pão da morena que nos trouxe de lalim.

celso levou-nos por contos que lhe lembrou a leitura. por pessoas que conheceu e que também lembravam os anos da fome, os cregos mentirãos, as mulheres afoutas.

eu apresentei a minha família à concurrência e falei da verdade e a mentira, da necessidade de falarmos da guerra, de fazermos terápia para cicatrizarmos de vez as genocidas feridas.

e, sobretodo, acompanhamo-nos de amizades.

eu_celso_santiago

publico_santiago

rosa_santiago

seique em santiago

cartaz_lançamento seique_compostela

confraria vermelha

confraria

a confraria vermelha é um projeto de aida suárez gutierrez, que pretende abrir no porto uma nova livraria de mulheres.

veu hoje a compostela a receber o apoio e amizade das livrarias ciranda e lila de lilith, e pedirom-me que passasse por ali e falasse alguma cousa de reintegracionismo e feminismo. eu, como às vezes sou boazinha, levei-lhes um poema circunstancial. podedes lê-lo aqui.

descubrimos em aida uma grande contadora de estórias e conhecemos a verdadeira neta da carapuchinha encarnada. isso não há quem o pague.

confraria2

como eramos muitas, decidimos deslocar o acto a um espaço mais grande, assim que acabamos n’as duas falando do falsas que são algumas amigas.

a imagem roubei-na dos feisbus da ciranda e da lila.

inverno na lila-ciranda

a combinação perfeita de livrarias que são a lila de lilith e a ciranda, à volta do português  pediram-me licença para utilizar uns meus versos no seu calendário para o 2014. e como penso nelas como a combinação perfeita de livrarias [feminismo e reintegracionismo por junto], não pudem negar.

e hoje tocava lançamento, partilhando acto servidora com o resto de colaboradoras: teresa moure, ugia pedreira, silvia capón e o pintor leandro lamas, encarregado dos desenhos. ao final, cousas da vida, só pudemos estar as três primeiras.

eu levei um poeminha novo, presente para a lila e a ciranda, que partilho com vós aqui.